sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Relíquias

Relíquias
Na primeira vez que eu a vi, sentir algo anormal em mim.
Algo sobrenatural, como se fosse um vendaval.
Uma onda gigantesca que invadia o meu coração
Sentir-me inundado pelo seu grande amor
Não havia como fugir, ainda tentei, mas eu mesmo não queria
E quando queria, já não podia, já não conseguiria.
Seu beijo era venenoso e eu amava me sentir envenenado por eles
Seu cheiro sereno de ser, seu olhar 43, aquele já indo embora...
Você fez uma confusão em meu coração
Ainda me recordo daquela canção que juntos ouvimos
Por ti meu amor, eu atravessarei os maiores desertos.
E não haverás areia suficiente que enterre o nosso amor
Nosso amor foi lindo, foi perfeito como o céu carregado de estrelas.
Foi lindo como a lua e o seu brilho resplendia em nossos rostos
E entre o crepúsculo e a aurora, eu te amei de dentro para fora.
Mesmo sem saber aonde chegar, te amei de asas partidas.
Decolei como uma andorinha voando no azul infinito do céu
Nos desejos, num beijo que jamais provei igual
Amor de corpo e alma é que hoje vivo apenas as relíquias
E a saudade de um amor que se foi, de um momento que se foi..
De um olhar que se foi, de um sorriso que se foi...
Onde a gente se perdeu, queria achar nessas estradas que ando só.
Eu não vou deixar assim como estar você e eu.
Quero te provar que não vale a pena estupidez.
Amor precisamos conversar.
Quero ser feliz com você.
Eu não vou deixar acontecer jamais
Preciso desse amor
Eu vou seguir como tudo começou
Quero entrar para sua vida
Na vida quero só você
Amor quero recomeçar.












Nenhum comentário:

Postar um comentário