sábado, 11 de janeiro de 2014

Amar é uma atitude

Amar é uma atitude assim como o primeiro beijo, como o sexo e a arte em geral.
1 João 3, 18 - Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade.
Essa palavra disse que amar não é só palavras e nem promessas, amar é atitude, é ação! De nada adianta falar e/ou prometer se as suas ações não fizerem valer cada palavra e se você não for sincero em tudo o que disser e fazer, pois, as suas palavras não tem valor se não forem conciliadas com ações verdadeiras, dia após dia em toda a sua vida, indiferente de todas as circunstâncias. Por isso, ame de todo o coração, com palavra e ação, e principalmente com muita sinceridade, indiferente de qualquer situação. Não pense duas vezes, ame agindo e demonstrando, dia após dia e cada vez mais!

“Aquele que conheceu apenas a sua mulher, e a amou, sabe mais de mulheres do que aquele que conheceu mil."

[Lev Nikolayevich Tolstoy, escritor russo, 1828-1910]

Em Portugal, a taxa de divórcio aumentou 89% de 1995 a 2004. Na Inglaterra, metade dos casamentos acabam antes dos 18 meses. A cada 33 segundos acontece um divórcio na União Europeia. Nos últimos 15 anos cerca de 16 milhões de crianças foram afetadas pelo fim do casamento dos pais.
Segundo a socióloga de família, a portuguesa Maria Engrácia Leandro, uma das razões para estes números é a “sentimentalização” do casamento. Segundo ela, “o casamento dura enquanto dura o amor sentimental; quando acaba o sentimento, acaba geralmente também o casamento”.
[...] Por esta razão, a construção de uma relação duradoura e estável jamais será possível baseada em sentimentos. Sentimentos oscilam conforme nossas alterações biológicas e emocionais. Precisamos de algo mais consistente do que sentimentos. Por isso, precisamos resgatar o conceito de "amor" como nos é exposto nas páginas da Bíblia.
Amor é uma decisão de amar o outro ao longo de uma jornada, mesmo sabendo que haverá instabilidades geradas pelos sentimentos. A sustentabilidade da relação estará firmada na decisão tomada e não nos sentimentos sentidos.
Diferente da versão dos filmes de Hollywood e das novelas da TV brasileira, amor é uma atitude. Ao longo de uma relação, mesmo entre amigos e parentes, vão existir dias em que não sentimos nada especial pela pessoa. No entanto, isso não tira de nós a possibilidade de termos para com ela “atitudes” de amor.
Na forma como falamos e agimos, praticamos o amor. Ao fazermos isso, exercitamos nosso coração na direção do amor e cultivamos no coração do outro, o amor. Logo, somente o amor, como uma atitude, pode fazer com que uma relação vença o tempo. “O amor jamais acaba!” 1Coríntios 13.8

Adaptado do livro “Feito para durar”, de Ricardo Agreste, p.26 e 32.


Nenhum comentário:

Postar um comentário