quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Lições Bíblicas Juvenis — A febre dos anjos

Lições Bíblicas Juvenis — A febre dos anjos

O culto aos anjos

"Tem anjo aqui, tem anjo ali, tem anjo lá"; "Anjos, anjos poderosos, guardando ninguém pode destruir"; "Já vejo anjo querendo aqui batizar"; "Parte dos anjos saiu para curar"; "Anjos me livram todo instante do astuto tentador"; "Quando os anjos passeiam a igreja se alegra, ela canta, ela chora e congrega"; "Eu tenho um anjo de luz que me conduz".

Todas as citações acima são trechos de canções do repertório de cantores gospel. Podemos notar a posição que os anjos possuem em muitos "louvores cristãos". Os cultos que possuem músicas como as citadas acima deixam de ser cristocêntricos e passam a ser angelocêntricos: a ênfase não é mais em Cristo; passa a ser nos anjos.

O perfil dos angelólatras

O apóstolo Paulo alertou: "Não aceiteis que alguém seja árbitro contra vós, fingindo humildade ou culto aos anjos, fundamentando-se em visões, ostentando a inútil arrogância do seu conhecimento carnal. Trata-se, pois, de uma pessoa que não está unida à Cabeça, a partir da qual todo o Corpo, sustentado e unido por seus ligamentos e juntas, efetua o crescimento concedido por Deus" (Cl 2.18,19, KJA).

Então, por que se fala/canta tanto sobre anjos? As pessoas, geralmente, ficam fascinadas por seres angelicais. Falar em anjos chama a atenção, gera fascínio e promove sucesso.
 

Não seria melhor mudar as letras das canções citadas para algo como: "O Senhor está aqui"; "Deus Todo-Poderoso"; "Jesus Cristo é poderoso para batizar e curar"; "Deus me livra do astuto tentador"; "Quando o Senhor está presente a igreja se alegra, ela canta, ela chora e congrega"; "Eu tenho o Pastor Jesus que me guia e conduz"? Poderiam não chamar tanta atenção.

Certa vez o apóstolo João quis adorar um anjo, mas recebeu a seguinte resposta do mesmo: "Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus" (Ap 22.9). Nossa perspectiva, na adoração, deve estar em Deus. O Senhor deve ser nosso foco; e mais ninguém.

Os angelólatras, além de exaltar os anjos mais do que a Deus, baseiam-se em suas experiências, mesmo que estas não estejam de acordo com a Palavra de Deus. Com isso, estão desprezando a Palavra que é "proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça" (2 Tm 3.16).

Conceitos errados sobre os anjos

Quem pode nos dizer o que é correto e o que é errado acerca dos anjos é a Bíblia Sagrada. As Escrituras não compartilham muitas das ideias que são pregadas sobre os anjos. Veremos que o erros não se resumem a adoração a anjos, porém há outras más concepções:

Anjos trazendo o evangelho —
 Foi assim que originou-se a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias: Joseph Smith, fundador do mormonismo, disse ter recebido a visita do "anjo" Moroni, o qual indicou-lhe o local onde estariam enterradas placas — no monte Cumora, perto de Palmyra, Nova York — que supostamente falavam dos antigos habitantes do continente, e também da "plenitude do evangelho eterno". Este relato conta de um anjo que traz um "outro evangelho". Paulo escreveu aos Gálatas: "Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema" (Gálatas 1.8). Aos homens foi dada a missão de pregar o Evangelho, e não aos anjos (1 Pe 1.12).

Oração à anjos —
 Devemos orar ao "Pai nosso" em "nome de Jesus" (Mt 6.9; Jo 16.23). Na Bíblia, não vemos ninguém dirigindo orações a anjos, nem pedindo por anjos. As orações são feitas a Deus, mesmo que isso possa resultar em uma intervenção angélica. Quando homens e mulheres de Deus receberam a visita de anjos, eles nem chamaram os anjos, nem pediram por eles; porém Deus os enviou (At 27.23,24).

Se for anjo então é bom — "Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus" (1 Jo 4.1), nos recomenda apóstolo João. Somos alertados também que "o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz" (2 Co 11.14). Parte dos anjos se rebelou (Ap 12.4,7) e está se passando por "anjos de luz" e enganando os homens. Pessoas têm se envolvido com anjos, mas anjos malignos.

Crentes mandam em anjos —
 Na Bíblia, apenas Deus é chamado de "o Senhor dos Exércitos" (Is 6.3,5). Somente Ele é quem dá ordens aos anjos. Quando alguém tenta mandar em anjos, dizendo a eles o que fazer, está querendo tomar o lugar do Senhor dos Exércitos! Os anjos só obedecem a Deus (Sl 103.19-21).

Portanto, não vamos aprovar o que a Bíblia desaprova. Nós sabemos que os anjos são espíritos que servem a Deus e ajudam os salvos (Hb 1.14), contudo, vamos manter nosso foco em Deus, o Senhor dos Exércitos. Que a Palavra de Deus — lâmpada para nossos pés; luz para nosso caminho — nos conduza.



Nenhum comentário:

Postar um comentário