segunda-feira, 17 de setembro de 2012

As cinzas de nosso amor

As cinzas de nosso amor

É um lago negro o seu olhar
Fácil demais pra se envenenar
E nas suas curvas derrapar
E cair nas muitas águas do seu mar.

O seu sorriso é um sorriso misterioso
Sorriso indecifrável, impreciso e gostoso.
Seus sorrisos me atraíram como as borboletas
São atraídas pelo pólen das flores.

Os dias passam madrugadas.
E eu sozinho na estrada
E suas lembranças me seguem

Com teus carinhos me apeguei
Nossas loucuras, diversões foram minhas alegrias.
 Você foi à aurora é o crepúsculo de meus dias.
Cada momento ao seu lado foi com uma peça de teatro
Só que sem ensaios, sem luzes, sem câmaras.
Fizemos de um instante um grande momento
E por isso a peça terminou com muitos aplausos.

Pobre de mim, invento rimas assim pra você.
O velho poeta não rima mais...
A fonte de inspiração secou...

By: Ernandes Rodrigues








Nenhum comentário:

Postar um comentário